14 min read

Conheça a funcionalidade que garante mais eficiência e engajamento ao time comercial e, ainda, acesso a informações relevantes e estratégicas para a empresa ter sucesso no digital

As novas tecnologias têm colocado o vendedor em outro patamar, no qual ele precisa ser munido de ferramentas para atender o atual consumidor. O profissional de vendas, agora, precisa oferecer outro tipo de experiência, personalizando o atendimento e a forma como oferta seus produtos.

Diante desse novo cenário, uma das modalidades que tem ajudado a engajar vendedores no digital é o Módulo Vendedor, disponível através da plataforma CWS. Além da possibilidade de múltiplos atendimentos simultaneamente, o profissional tem acesso a uma série de informações de BI, como, por exemplo, produtos mais comprados por determinado cliente e abandono de carrinho, que podem ajudar a estruturar novas iniciativas e estratégias para fidelizar consumidores.

Entre elas, a de construir promoções personalizadas e direcioná-las para clientes específicos. De acordo com uma pesquisa da Accenture, 72% dos varejistas entendem que precisam personalizar o atendimento, enquanto 80% dos consumidores dizem que estariam mais propensos a comprar se as ofertas fossem adequadas ao seu perfil.

Outra vantagem diz respeito à variedade de produtos disponibilizados na plataforma. Por conta da conectividade com outros estoques, há a possibilidade de o vendedor, através da funcionalidade, ofertar itens correlatos, aumentando o tíquete médio dos pedidos.

De uma forma geral, a empresa que adota a funcionalidade garante mais produtividade ao seu quadro comercial, pois os processos são mais simples e menos burocráticos. Vale frisar também que, ao contrário do que muitos vendedores acreditam, o digital não veio para dizimar empregos, mas, sim, para servir como ferramenta de venda e de atendimento.

“Muitos clientes ainda não têm segurança de fazer toda a jornada de compra sozinhos, devido às peculiaridades que os produtos apresentam, por isso, essa integração ajuda a levar a esses consumidores a comodidade da compra remota sem enfraquecer a relação entre eles e o vendedor, que para nós é fundamental”, diz Marcos Adam, Chief Digital Business Officer da Rodobens, empresa que opera digitalmente através da plataforma CWS.

Os clientes também têm acesso fácil à funcionalidade. Dessa forma, eles não precisam esperar pelo retorno de orçamentos, uma vez que as regras de preços já estão configuradas de acordo com o CPF ou CNPJ do usuário. Vale ressaltar que a hierarquia é respeitada e a regra de negócio é definida e estruturada previamente pela companhia.

Carrinho salvo e pronto para o envio

Diferentemente do que ocorre nas vendas B2B (business to business), em que é preciso realizar diversas ligações e/ou trocas de e-mails com orçamentos até a finalização de uma compra, o Módulo Vendedor otimiza esse processo.

Com a funcionalidade, é possível montar o carrinho e mandar o link através do Chat Commerce ou outros aplicativos de mensagens, com todas as especificações dos produtos selecionados. Com o carrinho montado, o cliente tem a segurança de adquirir os itens corretos e a comodidade de apenas finalizar a compra e fazer o pagamento pela plataforma. Renata Marchezi, vendedora da Rodobens, usa a ferramenta em seu dia a dia e aprova.

“Atualmente, faço muitas cotações pela plataforma e, sob a minha supervisão, os clientes fecham o pedido por lá mesmo. Dessa maneira, evitamos erros, pois estamos sempre em contato, enquanto eles ganham mais familiaridade com o novo sistema”, afirma Renata.

Módulo vendedor

Com esse módulo, os vendedores ganham mais produtividade e eficiência, com a possibilidade de atender mais de um consumidor ao mesmo tempo; enquanto os clientes, mais comodidade

“Embora os consumidores ainda estejam conhecendo esse novo jeito de fazer pedidos, muitos só compram agora pela plataforma. Acredito que temos muito para crescer e chegar ao público que ainda não é nosso cliente ativo”, acrescenta a vendedora.

Tendência irreversível

O Módulo Vendedor soma-se a outras várias iniciativas do setor para tornar os profissionais de venda cada vez mais digitalizados. O objetivo da funcionalidade da CWS, inclusive, é se transformar em uma ferramenta também nas vendas offline, de modo que o vendedor use a plataforma dentro da loja física para fazer os pedidos e receber pagamentos.

Seguindo os mesmos moldes de lojas famosas de tecnologia, como, por exemplo, a Apple, o caixa tende a ser substituído pelo smartphone. Pedidos e pagamentos serão feitos pelo celular, mesmo em um ponto físico.

O vendedor, além de centralizar suas vendas na plataforma, terá acesso a mais produtos e informações no momento do atendimento, já que seu estoque não ficará limitado à loja física. Ensinando o cliente a usar o portal da marca, o vendedor terá a chance de vender cada vez mais.

Para Guilherme Pereira, diretor de inovação da FIAP, o desenvolvimento e a aplicação de novas tecnologias nunca foram tão rápidos quanto hoje. “As empresas estão buscando novos formatos para gerar e capturar valor, e a digitalização dos modelos de negócio é um dos grandes pilares estratégicos de inovação nos próximos anos”, conclui. Ao que tudo indica, digitalizar vendedores é uma tendência que veio para ficar.

Redação Autor

Equipe responsável pela produção de matérias, artigos e curadoria de conteúdos e estudos sobre o universo digital.

Gostou do texto?

Tem alguma observação ou pergunta para colaborar com a discussão?
Deixe abaixo nos comentários.

Fique atualizado com todos os nossos conteúdos