Um dos projetos digitais mais inovadores e ambiciosos do mercado agro, a Supercampo chega como uma solução para cooperados que buscam facilidade e agilidade para comprar insumos agropecuários. Saiba mais sobre o marketplace

Facilitar processos e otimizar o tempo são dois dos grandes benefícios da digitalização. E, em um período em que soluções digitais vêm ganhando cada vez mais força, o campo também embarcou nessa nova jornada.

Ainda neste primeiro semestre, uma nova empresa digital promete movimentar o mercado. Trata-se da Supercampo, que nasce da união de cooperativas brasileiras, com a missão de conectar sellers e cooperados, descomplicando o modo como eles compram atualmente.

A plataforma já estreia com 80 mil cooperados e comercializará, nesta primeira fase, apenas insumos agropecuários.

“O mercado agro carece de boas soluções digitais e de uma plataforma que, de fato, simplifique a vida dos produtores rurais. Com a Supercampo, buscamos fortalecer esse setor através da presença das cooperativas no ambiente digital, onde podemos somar esforços e ganhar escala”, comenta Ronald Eikelenboom, COO (Chief Operating Officer) da Supercampo.

O projeto conta com cooperativas sediadas no Sul do País e em São Paulo, o que configura algo inédito neste setor: a criação de uma empresa formada 100% por cooperativas. Ao todo, são doze nomes de peso: Agraria, Capal, Castrolanda, Cooperalfa, Coopertradição, Copacol, Copercampos, Coplacana, Cotrijal, Frísia, Integrada e Lar.

A julgar pelos dados do último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o marketplace chega em um bom momento. O acesso à internet no campo teve um avanço de 1900% nos últimos anos. Hoje, mais de 1,43 milhão de produtores rurais já utilizam o meio digital.

“Todos os cooperados já foram informados sobre o projeto e a reação tem sido muito positiva. Estão bem animados. Não temos dúvida de que a plataforma será um divisor de águas no setor”, afirma Eikelenboom.

A produtora rural Lorena Delezuk é uma das cooperadas que se surpreendeu com a proposta da Supercampo. “É uma iniciativa inovadora, com visão de futuro, e trará mudanças significativas ao atual sistema de lojas físicas das cooperativas, levando mais agilidade e economia aos cooperados”, comenta.

A pandemia, segundo ela, mostrou a facilidade e a necessidade das compras online. “E de fato precisamos de um marketplace completo para agropecuária, com preços competitivos, bom prazo de entrega e fretes acessíveis.”

Cashback como aliado

Mais do que levar praticidade à vida dos produtores e ampla oferta de produtos através de uma criteriosa seleção de sellers, a Supercampo tem como propósito reduzir o custo de insumos agropecuários por meio de seu ecossistema digital.

“Atuaremos como uma intermediadora de serviços, conectando as revendas diretamente com os cooperados associados”, explica o executivo, que tem o cashback como aliado estratégico.

Todas as compras gerarão um crédito para o usuário continuar fazendo seus pedidos pela plataforma. “É uma forma de incentivar o digital.”

Novas tecnologias no campo – e na palma da mão

Para Ronald Eikelenboom, o digital não é uma novidade neste mercado, uma vez que muitos cooperados já estão até mais avançados digitalmente do que moradores de cidades grandes, seja tratando-se de novas tecnologias em máquinas e equipamentos ou na forma que se relacionam com as cooperativas.

“O campo está avançando digitalmente. A nova geração de produtores já está conectada. A Supercampo vem para fidelizar essas novas gerações de cooperados, que buscam cada vez mais informações e relacionamento online.”

Sediada em Curitiba, no Paraná, o escritório da Supercampo S.A. já conta com um time de mais de 20 profissionais engajados para auxiliar sellers e cooperados nessa nova jornada, além do suporte da CWS Platform, que foi a empresa escolhida para desenhar e colocar em prática o projeto.

“A CWS já tem expertise no mercado agro e nos apresentou uma excelente solução. Foi um feliz encontro e combinação de tecnologia e capacidade humana para poder entender o negócio e tirá-lo do papel. Apostamos no sucesso dessa parceria”, comenta Eikelenboom.

Entre as funcionalidades oferecidas pela plataforma CWS, uma, em especial, terá destaque no marketplace: o Social Commerce.

“Através dessa ferramenta, o cooperado poderá tirar dúvidas por meio de vídeos e bate-papo diretamente com os sellers, garantindo mais agilidade em suas compras.”

Para o executivo, o mercado digital está cada vez mais aquecido e será responsável, em poucos anos, por uma boa fatia das transações do setor agro.

“À medida que o acesso à tecnologia for avançando, mais compras serão feitas no cenário online. Por isso, nossa plataforma estará em constante evolução, tanto na parte de melhorias tecnológicas e novas soluções, como nas vendas, com mais sortimentos de produtos. Nosso objetivo, até 2025, é ser a maior plataforma agro do Brasil”, diz o executivo.

Se depender dos esforços das cooperativas e de seus cooperados e de todos os profissionais envolvidos, a Supercampo cumprirá em breve sua missão: os cooperados terão o campo em suas mãos.

Supercampo

Gostou do texto?

Tem alguma observação ou pergunta para colaborar com a discussão?
Deixe abaixo nos comentários.

Fique atualizado com todos os nossos conteúdos